ENEM: Como evitar o desânimo nos últimos meses de preparação

O ENEM é uma prova exaustiva e que exige muita dedicação durante o período de preparação, o que faz com que seja muito comum cair no desânimo, uma vez que, todo o esforço e trabalho acabam por sobrecarregar a mente.

Nos dias que antecedem as provas, muitos alunos ficam estressados ​​com o volume de atividades e trabalho que enfrentam a cada dia e a sensação de não ter tempo suficiente para preparar adequadamente cada exame pode causar ansiedade e estresse.

Nesse caso, a motivação é um requisito essencial para que o aluno consiga enfrentar o ano de preparação para o ENEM, com energia e confiança.

Como evitar o desânimo nos últimos meses de preparação para o ENEM

A seguir veremos uma série de dicas para que iniciar uma sessão de estudos seja algo muito atraente e suportável. Seguindo esses pequenos passos, aos poucos eles se tornarão hábitos e seu desempenho acadêmico melhorará notavelmente.

1. Planeje a sessão de estudo

É essencial começar planejando sua sessão de estudo. Escolha as matérias que vai estudar e tente estabelecer um limite de tempo para fazê-lo. Uma boa ideia é fazer uma lista das tarefas a serem realizadas durante a sessão e ordená-las de acordo com sua prioridade. Conforme você progride nas tarefas, você se sente mais motivado e realizado.

Fazer um curso preparatório ou utilizá-lo como meio para obter suporte e revisar matérias importantes é essencial. A plataforma Pensar Cursos possui um material inédito que pode ajudá-lo.

O ideal aqui é não estudar exaustivamente diversas matérias em um único dia. Tente separar no máximo três assuntos e um tempo para revisão das matérias estudadas naquele dia.

2. Estabeleça pequenos objetivos

O estabelecimento de pequenas metas ou objetivos nos momentos em que o material de estudo ou trabalho é de grande volume, nos ajudará a nos sentirmos realizados e, portanto, a manter nossa motivação elevada.

3. Faça o mais difícil primeiro

Durante os primeiros momentos de estudo é quando temos mais energia. Essa energia vai sendo consumida aos poucos com o passar das horas, portanto, é muito mais eficaz realizar aquelas atividades ou estudar os assuntos que nos são mais difíceis no momento.

Do contrário, se deixarmos para o fim, é muito provável que não tenhamos mais força suficiente e percebemos essa tarefa como muito mais complicada do que é.

4. Evite distrações

Telefone celular, redes sociais, internet, televisão, etc. Todos esses são agentes que nos distraem, desviando-nos de nossa tarefa e fazendo com que nossa mente vagueie, tornando muito mais difícil nos concentrarmos novamente em nossa tarefa.

Todas essas distrações apenas nos fazem perder muito tempo, ser menos eficazes e, portanto, nos favorecem a desenvolver um sentimento de incompetência e desmotivação.

5. Descanse de vez em quando

É altamente recomendável tirar algum tempo antes que a fadiga tome conta. Se deixarmos nossa tarefa quando não pudermos mais, será muito difícil retomá-la e, com certeza, o faremos desmotivados.

O ideal é fazer pequenos intervalos de 10-15 minutos quando notarmos o menor sintoma de fadiga. Dessa forma, ficaremos muito mais claros e com mais energia para voltar a sentar para trabalhar.

6. Recompense-se

Quando a sessão de trabalho ou estudo terminar, recompense-se com pequenas recompensas. Se você acha que fez bem ou que o trabalho foi produtivo, permita-se alguma recompensa que o motive.

Para fazer isso de forma eficaz, você pode seguir as seguintes etapas:

·         Defina uma meta e defina a recompensa com antecedência. Portanto, você estará motivado para obtê-lo.

·         Para que a recompensa seja eficaz, ela deve ser proporcional ao esforço ou dificuldade da tarefa.

·         Se você pensa que não alcançou o suficiente, não se recompense, caso contrário, não terá nenhum efeito quando você o fizer.

·         As auto afirmações também são pequenas recompensas que podemos dar a nós mesmos enquanto estamos trabalhando.

7. Encontrar o contexto de estudo ideal

Cada pessoa tem um desempenho melhor em um contexto e cronograma específicos. Portanto, é necessário saber qual é o nosso momento e ambiente ideal para estudar.

Por exemplo, podemos estudar com música se for apropriado, estudar em um lugar onde haja mais gente como uma biblioteca, ou pelo contrário, ficar totalmente sozinhos e em silêncio.

Da mesma forma, é possível que nas primeiras horas da manhã estejamos mais livres para trabalhar bem ou, pelo contrário, a tarde seja o nosso momento ideal para nos concentrarmos melhor.

8. Use as bibliotecas

Apesar de, como mencionado acima, cada pessoa possuir um local ideal de estudo. As bibliotecas nos fornecem um espaço tranquilo, sem as distrações que podemos ter em casa.

Além disso, se você estiver acompanhado, pode definir metas conjuntas e descansar junto com outra pessoa, o que sempre torna as longas sessões de estudo mais suportáveis.

9. Adapte seu espaço de trabalho

Certifique-se de que tudo funciona corretamente e de que você tem tudo o que precisa para estudar ou realizar as tarefas pendentes. Caso contrário, você perderá muito tempo procurando coisas e pode ficar muito frustrado quando perceber que não consegue realizar o trabalho.

Além disso, um espaço de estudos organizado e limpo nos fará sentir mais confortáveis ​​e à vontade.

10. Pense em metas de longo prazo

Reflita sobre o que o levou a realizar esses estudos ou atividades, bem como o que você pode alcançar ao concluí-los. Tudo isso aumentará sua motivação e o ajudará a encontrar um forças para continuar.

Uma boa opção é deixá-lo refletido em algum lugar, um pedaço de papel ou um quadro-negro que servirá de motivação e pode ajudá-lo a lembrar por que está fazendo esse esforço.

11. Não procrastine

A procrastinação é a “arte” de deixar o que não queremos fazer para outro momento, substituindo por algo mais leve e que queremos mais. Embora pareça bom, a realidade é que você sempre vai acabar adiando, então o melhor é nos propormos a fazer quando ainda tivermos energia.

12. Presuma certo nível de estresse

Vivenciar um nível mínimo de estresse não é prejudicial, pelo contrário, ajuda a nos mantermos ativos e atentos ao que estamos fazendo.

No entanto, não podemos permitir que ele nos domine. Embora, um pouco de estresse seja bom para o nosso desempenho, muito pode fazer com que fiquemos saturados e a ansiedade que o acompanha pode nos impedir de nos concentrar e de fazer bem o nosso trabalho.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.