Ozonioterapia: aumentando qualidade de vida dos diabéticos!

Ozonioterapia pode mudar a qualidade de vida dos diabéticos. Conheça esse método!

Você sabia que o Brasil está entre os países com maior número de diabéticos no mundo? São mais de 10 milhões de pessoas com essa condição que, infelizmente, ainda não tem cura. 

Existem diversos tratamentos que auxiliam pacientes com os diferentes tipos de diabetes a desfrutarem de maior qualidade de vida e diminuir os riscos que essa doença traz. Um desses métodos é a ozonioterapia: uma possibilidade de tratamento natural com mínimos efeitos colaterais. 

Com base no uso de ozônio para mais saúde e bem-estar,  esse tipo de tratamento auxilia no tratamento das complicações decorrentes da diabetes. A ozonioterapia ainda é conhecida por ser uma alternativa natural segura, acessível e eficiente. 

Mas, afinal, o que é esse método? 

Simplificando: este tratamento usa o ozônio (gás composto por 3 átomos de oxigênio) para aumentar para melhorar a imunidade e oxigenação do paciente. 

Esse gás tem propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antissépticas. Por isso, pode auxiliar em tratamentos de condições decorrentes da diabetes, como o problema com cicatrizações. 

Ainda é útil para melhorar a oxigenação dos tecidos e também consegue fortalecer o sistema imune.

Esses são apenas alguns dos benefícios e indicações da ozonioterapia. Vamos conferir adiante como esse método pode fazer com que pessoas diabéticas tenham uma vida melhor.

Quais são os tipos de diabetes? 

Antes de explicarmos como o ozônio pode ser benéfico para portadores dessa doença, é importante entender quais são os três tipos de diabetes e que cada um tem seu índice de gravidade. Isso quer dizer que requerem tratamentos diferentes. 

Vale lembrar que não estamos falando sobre cura, mas sim sobre métodos para aumentar e prolongar a qualidade de vida das pessoas, tratando as consequências que essa doença acaba provocando. 

Diabetes tipo 1 

Esse tipo de diabetes acontece quando o pâncreas perde sua capacidade de gerar insulina ou que sua produção é insuficiente. Então, essas células sofrem a destruição autoimune – quando os anticorpos atacam as células responsáveis por esse hormônio.

Portadores de diabetes tipo 1 precisam de injeções diárias de insulina para que mantenham a glicose no sangue em valores normais. 

Diabetes tipo 2

Diabetes do tipo 2 se dá quando o organismo é resistente à glicose e as células não conseguem retê-la de forma eficiente. 

É decorrente dos maus hábitos do paciente – como o sedentarismo, consumo excessivo de açúcares e gordura, tabagismo, assim como a obesidade. 

Portadores dessa doença devem buscar formas de tratamento o quanto antes e de praticá-las de maneira eficiente, caso contrário, a diabetes tipo 2 pode avançar (comprometendo a produção de insulina). Dessa forma, a pessoa passa ao estágio grave do tipo 1.

Diabetes gestacional 

Acontece durante a gravidez de algumas mulheres! Nesse caso, ocorre elevação do nível de glicose no sangue durante a gestação. É algo preocupante? Talvez! 

Geralmente esse fator é normalizado após o parto. Entretanto, caso aconteça, essas pacientes têm mais risco de desenvolverem diabetes tipo 2, assim como seus filhos.

Como a ozonioterapia age contra diabetes? 

A ozonioterapia age nos efeitos colaterais dessas doenças, que são muitos, como dificuldade de cicatrização, aparecimento de úlceras e infecções internas. Sendo assim, está diretamente ligada a proporcionar mais conforto e saúde durante os processos de tratamento. 

A ozonioterapia pode auxiliar processos de cicatrização

É normal que pacientes com diabetes apresentem feridas e sofram com dificuldade de qualquer cicatrização. 

É um dos pontos mais negativos da doença, já que em muitos casos pode levar até mesmo a amputação de algum membro corporal. 

Isso acontece quando surgem ulcerações (principalmente na região dos pés). É consequência de má circulação sanguínea e lesões nos nervos provocados pelo excesso de glicose no sangue.

Esse tipo de problema que resulta em amputações, torna a cicatrização muito difícil, devido aos baixos níveis de oxigênio que chegam até a ferida.

A cicatrização torna-se ainda mais complicada porque existe a baixa sensibilidade no local da ferida que precisa ser cicatrizada. 

O ozônio, rico em antimicrobianos, pode estimular o crescimento de novos vasos sanguíneos e de fibroblastos, que são responsáveis pela regeneração do ferimento. Então, pode ser um ótimo aliado para solucionar essa cicatrização lenta e acelerá-la. 

O ozônio pode aumentar a imunidade dos diabéticos

Um problema entre os portadores de diabetes e outras tantas doenças é o sistema imunológico. Função muito importante do corpo, já que reage aos ataques de bactérias, vírus e outros micróbios para livrar o organismo de doenças. 

É como uma barreira corporal composta por milhões de células, responsáveis por garantir a defesa do organismo e manter o corpo funcionando bem. É normal que esse sistema fique enfraquecido em algumas situações. 

Com o ozônio, essa barreira fica mais forte e o paciente, consequentemente, mais protegido. 

Por isso, a ozonioterapia também pode regenerar algumas funções do organismo e fortalecer o sistema imunológico, estimulando a ação dos glóbulos vermelhos no local, melhorando a oxigenação das células, entre outros benefícios.

O ozônio evita infecções

Em casos mais sérios, algumas infecções podem aparecer em diferentes regiões do corpo em pessoas com diabetes. É neste ponto que a ozonioterapia também pode ser uma grande aliada. 

Dado que o ozônio conta com efeitos antimicrobianos, bastante conhecidos por também evitar e auxiliar na recuperação de alguns tipos de infecções. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.