Membro aposentado do Ministério Público de Minas Gerais lança 5 livros em 2020

O autor Henrique German conclui 2020 lançando mais dois livros, completando cinco publicações no ano. Este foi, portanto, o ano de lançamento do promotor aposentado como escritor, com produção diversificada e de qualidade. Depois de um livro de crônicas, um de contos e um para crianças, ele lança agora um livro infantil chamado Lucrécia e um romance que recebeu o nome de Antônia.

O advogado é membro aposentado do Ministério Público de Minas Gerais e estará em dois lançamentos: o primeiro virtual, uma LIVE no perfil do Instagram da Páginas Editora @paginas_editora no dia 2 de dezembro, às 19h, o segundo lançamento será realizado no hall de entrada do prédio da Associação Mineira do Ministério Público no dia 3 de dezembro, às 18h, com todas as medidas de prevenção contra o contágio da Covid-19.
A estreia do autor aconteceu em março de 2020, com o livro Arquipélago. Em agosto, a Páginas Editora realizou mais dois lançamentos: dos Maravento e Pipa um cara especial. Henrique também participa de outra obra lançada pela editora, o livro Contos, Contas e Surtos da Pandemia, ao lado de outros 12 autores.
O livro infantil Lucrécia conta a história de uma pequena joaninha de cor amarelo-vivo, com belas manchinhas vermelhas em forma de bolinhas, que lhe cobriam todas as costinhas. Além de uma irmã mais nova, ela tinha duas amigas inseparáveis. Porém, Lucrécia tinha uma dificuldade: ela não conseguia enxergar bem, era quase completamente cega, não conseguia fazer nada sozinha.

O livro fala sobre os desafios enfrentados pela pequena joaninha e como ela conseguiu superar as dificuldades com ajuda de pessoas que a amavam. O próprio Henrique German convive com a dificuldade em enxergar, o que não o impede de se dedicar à produção literária e outras atividades do seu dia a dia.

Antônia é um romance, o primeiro do autor. O título remete à personagem axial “Antônia”, nome latino, de sugestivo e auspicioso significado: valiosa, de valor inestimável.

O livro é prefaciado pelo magistrado Habib Felippe Jabour. “A eletrizante e bem-encadeada narrativa arrebata a atenção do leitor desde o primeiro capítulo, do total de dezesseis, e o leva sofregamente a querer desenredar toda a trama, assim, de um folego só. O autor, sem dúvida, é um mago das palavras, com poderes encantatórios de ilusionista, valendo-se de portentosa memória e admirável capacidade de fabulação”, diz o prefácio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.