5 greves que marcaram a história do Brasil

No Brasil, uma forma de os trabalhadores demonstrarem insatisfação com seus empregadores, com medidas adotadas pelo governo e de lutarem por seus direitos, é fazer greve.

O início dos movimentos grevistas datam do começo do século 20, quando operários lutavam por melhores condições de trabalho, garantias trabalhistas, jornadas menores, proibição do trabalho infantil e, é claro, salários melhores.

Conhecidas como greves operárias, foram essas manifestações que deram início à circulação dos jornais operários e das associações sindicais. Desde então houve inúmeras paralisações e greves ao longo das décadas – algumas com a proposta de parar o país inteiro.

Que tal conhecer algumas das maiores mobilizações que aconteceram no país? Vamos lá!

As 5 maiores greves que pararam o Brasil nas últimas décadas

Algumas greves se destacam pelo número de pessoas que aderiram e que pararam suas atividades. Outras, pelos impactos que causaram aos setores produtivos e à população.

1. A greve de 1986

Em 12 de dezembro de 1986, um número estimado de 25 milhões de trabalhadores se manifestaram contra o Plano Cruzado.

A mobilização tinha como pauta o congelamento geral dos preços e, é claro, a defesa dos salários.

2. A greve de 1989

Os dias 14 e 15 de março de 1989 marcaram uma das maiores greves do país — considerada a maior, até 2017.

Foi uma greve geral, que paralisou os principais setores e contou com aproximadamente 35 milhões de participantes.

O Plano Verão, que congelava salários e mexia no rendimento da poupança,  foi o estopim para a paralisação. Grevistas se mobilizaram contra as perdas salariais e o altíssimo índice de inflação, que chegou a  mais de 70% no mês de janeiro daquele ano.

3. A greve de 1991

Uma greve geral de 48 horas, no país todo. A paralisação foi convocada para os dias 22 e 23 de maio de 1991 e mobilizou cerca de 19,5 milhões de trabalhadores.

A luta era por garantia de emprego, fim dos aumentos abusivos em aluguéis e também nas prestações da casa própria e reposição de perdas salariais.

4. A greve de 2017

A sexta-feira, dia 28 de abril de 2017, foi de paralisação geral por todo o país. Os trabalhadores brasileiros aderiram à greve, tanto que o número de grevistas superou a greve de 1989, considerada até então a maior do país.

Cerca de 40 milhões de brasileiros pararam suas atividades. O cenário foi de rodovias fechadas, fábricas paradas, ônibus nas garagens, metrôs e trens parados e ruas vazias.

O motivo que desencadeou essa mobilização foi o protesto contra as reformas do governo Michel Temer.

5. A greve dos caminhoneiros em 2018

“Crise do Diesel” foi a denominação dada a essa paralisação que causou profundos impactos na economia e provocou desabastecimento de produtos básicos, de alimentação à combustível.

A greve dos caminhoneiros iniciou em 21 de maio de 2018 e teve duração de aproximadamente dez dias.

Com o principal meio de abastecimento parado, o Brasil começou a sentir os efeitos:

  • Postos sem combustíveis
  • Supermercados sem reposição de alimentos (consequentemente o aumento do valor dos estoques)
  • Transportes com frota reduzida
  • Cancelamento de aulas em escolas e universidades
  • Cancelamento de procedimentos hospitalares por falta de medicamentos
  • Aeroportos com vários voos cancelados

Outra greve dos caminhoneiros já havia parado o Brasil, em 99, e também foi considerada uma das mais graves já enfrentadas.

O que você lembra desses períodos? Há alguma greve que tenha marcado alguma fase de sua vida ou que você tenha se mobilizado? Conte para nós!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.